quarta-feira, 11 de março de 2009

Na palma da mão sinto...




Seixo rolado na minha mão
Pés descalços dentro de água
Água límpida adocicada
Acaricia a minha pele
Como se de carinho se tratasse
Deito-me no chão
Sinto o calor da terra nas minhas costas
Sinto o devorar do tempo
Tempo que não me condiciona
Mas que me consome
Consome o que mais desejo
Desejo de viver
Viver intensamente...
Olho para o sol
E a energia revigora-me
Revigora-me a paixão
A paixão que sinto
Sinto cá dentro...
Por ti...
Deixo de sentir a brisa
E levito sobre o sentir
O sentir que me faz
Faz esboçar um sorriso
Um sorriso que me apetece dar...
Um grito que ecoa no espaço...
Um atirar de seixo pela água...
Aquele seixo rolado...

Quente... fechado na minha mão...



Semente Laranja...

1 comentário:

  1. Rolou o seixo, ficaste tu, a carícia, o som das águas perdidas...

    ResponderEliminar